José Francisco da Silva Concesso

José Francisco da Silva Concesso

José Francisco da Silva Concesso nasceu em Rio Espera no ano de 1936. Filho de Antonio Simão da Silva e Maria Eduarda Silva. Aos nove anos de idade deixou a comunidade da Lage onde nascera e foi morar com o farmacêutico José Colombo Rivelli para poder estudar. Cursou o primário no Grupo Escolar Major Miranda. Foram suas professoras: Maninha Salim e Maria Glicéria Salim, Marisica e Anísia.

Em fevereiro de 1950, entrou no seminário dos Orionitas de Burnier onde fez o Ginásio. Em 1954, fez noviciado em Belo Horizonte. Estudou filosofia no seminário arquidiocesano do Rio de Janeiro. Em julho de 1961 foi para Itália, onde foi ordenado sacerdote em 10 de abril de 1965. Ao retornar ao Brasil em 1965, permaneceu no Rio para um curso de especialização antes de ir para Araguaína, no Estado de Goiás. De lá foi mandado para fundar o Instituto São Marcos em Valença.


De Valença foi para Lagoa Santa, onde exerceu o cargo de Capelão da Aeronáutica, foi diretor da escola regimental de aprendizes até 1977. Fundou a paróquia de Santa Edwiges e neste período cursou direito na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Depois de dezoito anos de exercício do Ministério Sacerdotal licenciou-se do ministério tendo se casado posteriormente e hoje tem um filho que estuda direito.

A convite do então governador de Goiás, Íris Rezende, em 1985 foi convidado para ser o primeiro diretor da primeira unidade de Ensino Superior do Norte do Estado, hoje Tocantins, onde lecionou ate o ano de 2003, quando se aposentou. Atualmente é vice-diretor da Faculdade Católica Dom Orione, em Araguaína, onde reside com sua família.


O professor José Francisco é membro da Academia Tocantinense de Letras, da Academia Cordiburguense de letras e da Academia Imperatrinense e Academia Mirim de Araguaína. É Autor dos seguintes livros: Latim – primeiros passos, Data Vênia, Análise Sintática para estudantes de Latim e Meu Primeiro Picolé.
Este último foi lançado em Rio Espera durante a festa do Rio-esperense Ausente de 2004. Na época aconteceu uma homenagem por parte da comunidade, que contou com a presença da primeira professora de José, Maninha Salim e os irmãos José Rivelli e Maria da Conceição Rivelli a quem José dedicou o seu livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *